terça-feira, novembro 25

Leonard Cohen, Beautiful Losers

O que é um santo? Um santo é alguém que conseguiu realizar uma remota possibilidade humana. É impossível dizer qual é essa possibilidade. Eu acho que tem algo a ver com a energia do amor. O contato com essa energia resulta no exercício de um tipo de balanço dentro do caos de nossa existência. Um santo não resolve esse caos; se pudesse o mundo teria mudado há muito tempo.

Não acredito que um santo dissolva o caos nem para si mesmo, pois há algo arrogante e tipicamente guerreiro na concepção de um homem colocando ordem no universo. Sua gloria é um tipo de equilíbrio. Ele desliza à deriva como um ski solto. Seu curso é a carícia do morro. Sua marca é o acúmulo de neve naquele momento específico, arranjado pelo vento e a pedra. Algo no seu interior ama o mundo de tal maneira que ele se entrega para as leis da gravidade e o acaso. Longe de voar com os anjos, ele traça com a fidelidade de uma agulha de um sismógrafo, o estado da sólida paisagem. Seu lar é perigoso e finito, mas ele esta à vontade no mundo. Ele consegue amar as formas das coisas humanas, as formas finas e tortas do coração. É bom ter entre nós tais homens, tais monstros equilibradores do amor.


Publicado originalmento no blog Obscured by clouds



3 comentários:

Renata (impermeável a) disse...

minina...
adorei as palavras.......!
Compactuo com suas idéias, mas, acho que o amor incondicional, melhor, o dar amor incondicional, é tºao dificil de encontrar....

a melhor realidade de se pensar, é o lado santo de cada mortal...

vendaval com poesias disse...

Olá Liz
Venho agradecer sua visita, e dizer que novos amigos são sempre bem vindos!
Gostei muito de tudo aqui, e se me permite irei adicioná-la para não perdê-la de vista!
um abraço grande

Aline Christall disse...

"O contato com essa energia resulta no exercício de um tipo de balanço dentro do caos de nossa existência."

Amei o texto...
Saudades!!! Bjão.