segunda-feira, novembro 17

Foto: Raimbow by Nikosalpha

às vezes me sinto desnorteado
aqui no hemisfério sul

viro o mapa ao contrário
e nem assim encontro meu norte

claro
meu norte não é geográfico
não é político
nem está no mapa

meu norte é de carne e osso
fala e respira e anda e cala
tomara haja coração que bata
como jorra da minha bússola
o sangue que me norteia

Ewaldo Schleder, publicado no bog do Solda




2 comentários:

acqua disse...

Uau, e eu que estou há tempos a procura do meu norte... Delicioso esse poema. Abraços meus

claudio boczon disse...

Ewaldo é uma figuraça, e escreve bem à pampa.

bjs