domingo, novembro 2

Foto sem crédito


Assim como a chita barata
que vive a efemeridade
de suas cores
Sigo aproveitando a luz
e expondo minhas flores
Antes que o tempo
que o sol
ou uma moça alheia
me rasgue sem vontade
e eu desbote
e fique feia.

Adelia Danielli

Um comentário:

claudio boczon disse...

muito bom.

já eu me preocupo com as traças.