segunda-feira, abril 27


olho nu


corto e recorto
personagens eu colo
um pós o outro
nessa realidade
absurda e convencida
que me olha nos olhos
todos os dias
conteúdo inválido
senhas erradas
pistas, rotas, trovões
e tudo
mero deja vu
e sigo
desenhando sol no papel
vejo fitas ao dormir.


aline do Blog de 7 Cabeças

3 comentários:

pqueirozribeiro disse...

Gostei da criatividade e da foto! A poesia está dentro do contexto.

claudio boczon disse...

Ah! Matisse, se visse...

INFETO disse...

Sao para que possas amarrar tudo que fez, para durante o sono nao voar. abraços

http://poesiafotocritica.blogspot.com/