terça-feira, outubro 28

Blogagem coletiva ABRE ASPAS II


Deveria ter participado, segunda-feira, dia 27 de outubro, da blogagem coletiva ABRE ASPAS II, proposta pela Lunna, cujo link está aí ao lado, logo no início da lista "gosto de visitar", por razões técnicas, alheias á minha vontade. Desta forma, mesmo com atraso, apresento um poeta gaúcho de mão-cheia, que provavelmente alguns não conhecem ainda.


Trata-se de Jaime Vaz Brasil, que além de poeta é médico psiquiatra e psicoterapeuta.


Tem vários artigos e ensaios publicados em antologias, revistas e jornais, além de mais de centenas de músicas já gravadas.


Recebeu o Premio Açorianos, na categoria Música especialmente composta para Teatro-Dança, em 1997, indicação para o mesmo prêmio, no mesmo ano para a categoria Literatura por seu livro os Olhos de Borges.


Em 1988 recebeu o Premio Nacional Paulo Sergio Gusmão, no gênero Poesia, com o LIVRO DOS AMORES, do qual fazem parte os dois poemas que estáo aqui, nesta blogagem , que deveria fazer parte da blogagem coletiva.








Falar de amor: em segredo,
em textos lidos e escritos,

silêncios, cartas, bilhetes...
Falar de paixão: aos gritos.


Ele: o silêncio dos séculos,
a constãncia dos metais.

Ela: arco-íris, cometa,
terremoto e vendavais.


Mas os cadernos do tempo
ditam o fôlego e o prazo:

ele corre maratona.
Ela, cem metros rasos.


******************************************************



Quando a saudade bater

digam que não estou.


Que murchei

que tenho lepra câncer virose grave

escarlatina lombriga

digam qualquer coisa.


Digam que sumi.


Que troquei de nome.


Que morri de fome.


Que roubaram

o que era meu.


Quando a saudade bater

troquem as fechaduras

coloquem grades na porta.


Mudem o número

do casulo. Não moro mais lá.


Agora é um número qualquer.

Um número assim: #$%#*&.


Uma rua qualquer,

uma chave perdida

no bolso da distância.


A saudade que escolha

o endereço.


Aqui não.





Mais informações sobre Jaime Vaz Brasil, você encontra aqui







4 comentários:

acqua disse...

Bom dia caríssima, ainda não conhecia esse poeta, aliás, essa blogagem me permitiu isso, um desbravar de oceanos em alguns casos. Fico feliz que tenha conseguido postar. Feliz mesmo. Abraços meus...

Vanessa disse...

Olá, para mim tb é um poeta novo. Aliás nessa coletiva o que mais fiz foi ser apresentada a novos poetas.

Delícia de ler.

Abraço

Aline Christall disse...

Obrigada Liz, pela oportunidade de navegar em outros oceanos. Adorei o poetar sensível do Jaime.

Super beijo e boa semana!

Cynthia Lopes disse...

Nossa Liz, não conhecia, que versos contundentes, gostei muito, vou sim pesquisar mais e conhecer mais deste poeta. bj