sábado, agosto 9




Já tentei croché
Já tentei tricô
Já fiz pão e fiz teatro.
Entrei pra esquerda,
cutuquei o partido;
Fiz bolo e artesanato.
Tentei de tudo, tentei de nada.
Fui Zé Ninguém e dona-de-casa.
Já dormi sonhando reis,
Já dormi sonhando putas,
amantes de Sol, amantes de Lua.
Mas não me encaixei em nada
E fui ser coringa no meio da rua.


Amanda Bigonha Salomão

2 comentários:

Tina disse...

Oi Liz!

Já fiz tudo (ou quase) . E ainda assim sou(feliz)? Só falta ser coringa. NUNCA no meio da rua. Nunca.

beijo grande e bom fim de semana,

acqua disse...

Que delicioso esse poema. Acho que todos nós somos mais ou menos assim. Fazemos de tudo e as vezes fica a sensação de que falta alguma coisa. Hoje vou fazer fita e assistir tv. Está frio... Beijos meus