quarta-feira, abril 2

Foto do Pixdaus


Pra eu parar de me doer
faço compressas frias
três vezes ao dia
sobre o peito
e tomo uma aspirina
depois do jantar

E ainda assim
não consigo
me desfazer
do fim
(Mary do blog de 7 cabeças)





2 comentários:

JG disse...

Um pouco pessimista, esta menina.
Por muito boas razões que se tenham, não há nenhuma que nos faça ter vontade de nos desfazermos de nós própios.
Pelo menos comigo é assim.
Mas eu sou um optimista, e ainda bem.

Beijo

adelaide amorim disse...

A forca em forma de coração é ótima. E o poema me parece mais uma brincadeirinha pra espantar a dor.
Beijo pra você, Liz.