segunda-feira, setembro 24

viés














esse garoto que às vezes te visita
vive outra práxis
outros dias
e se imiscui em teu cotidiano de aço e vidro
com sua bola de meia
com seu pomar terra e verde
e o balanço de corda

esse menino magro te perturba
te renova
como se fosse memória e
faz sorrir nas horas mais sisudas

é curioso, o menino, e traz questões
que não dizem respeito
ao homem sério que agora te tornaste

enquanto imóvel ponderas papéis de tuas pastas
ele se agita e brinca e mexe em tuas gavetas
e sem te consultar
sopra em tuas letras a brisa de outras tardes
e sensações de afago e de varanda

esse garoto que às vezes te visita
à noite em tua cama
canta baixinho cirandas e prelúdios
para manter acesa tua chama

(adelaide amorim)

Um comentário:

paliavana4 disse...

LIZ,

cheguei à tua página assim para uma visita, e a suavidade da mesma fez com que eu me detivesse...

Parabéns, um abraço.
Darlan