quarta-feira, janeiro 28

Calo



É onde somos sensíveis
Que dói
E é onde, quando acertam,
Não tem volta
É onde a gente se deforma
Se arma e se engrossa
Pra não sentir mais
É onde já fomos penugentos e ralos
É onde havia pele à mostra
Onde fomos macios e tenros
(e bobinhos!)
é assim que se formam os calos
então perdoa se sou grosseira
mas eu sou grossa
na medida em que me pisaram

(Czarina das Quinquilharias, do Blog de 7 Cabeças)

3 comentários:

manzas disse...

Estar aqui presente
Com estas palavras
Luzentes brilhantes…
É como flutuar
Em águas calmas
E no fundo ver diamantes

Um bom fim-de-semana
Inundado de paz…

O eterno abraço…

Tina disse...

Oi Liz!

Bem escrito, bem verdade não? Gostei mesmo.

beijos querida e bom fim de semana,

regis-pereira.óleo/tela disse...

Ola, adorei tudo!! Dizem que só as pessoas que agente ama, tem o poder de nos fazer sofrer, quer sejamos senciveis ou não. parabens seu blogger é lindo!