segunda-feira, outubro 29

Pró-cura


              















te procuro
quando
está claro,
quando escuro,
céu repleto
ou incompleto
te procuro,
no teu samba
predileto,
num obscuro
dialeto
te procuro,
quando
te protejo,
quando
me projeto
em teu futuro,
te procuro,
capto, capturo
nesse poema
que rasuro,
e te juro:
só quando
te encontro
me curo.
 (Múcio Góes)




Um comentário:

adelaide amorim disse...

Um poema com jeito de letra do Chico - muito bom, Liz. nâo conhecia o autor.
Beijo pra você.