quarta-feira, outubro 24

contradições
















de onde vem esse a quem chamo de amor
que mundo meu e estranho
fala comigo em sonhos
quando imagino que já não existe
e o que mais quero
é saber dele pelo que não sei
nem saberei talvez por toda a vida

que sabe ele de mim
se é que me ama?
o amor
bem o sabemos
tem sido um bom parceiro da mentira
tanto mais dúbio
quando mais se apresenta verdadeiro

(Adelaide Amorim)

Um comentário:

adelaide amorim disse...

Ando tão solta por aí que só agora encontrei o poema no Fotografias...
Obrigada, Liz querida, é muito bom me ver aqui. Beijo pra você.