sábado, julho 14

Para a amiga convalescente Alma do Blog Et Alors





















(...)
Alma,
isso do medo se acalma
Isso de sede se aplaca
Todo pesar
não existe
Alma,
como um reflexo na água
Sobre a última camada
Que fica na superfície,
crise
Já acabou, livre
Já passou, o meu temor do seu medo
Sem motivo, riso...de manhã, riso de neném
A água já molhou a superfície

Alma,
daqui do lado de fora
Nenhuma forma de trauma
sobrevive
(...)

Alma - Zelia Duncan)



Um comentário:

Alma disse...

Puxa,fiquei emocionada!
Muito, muitíssimo obrigada!

Beijo