segunda-feira, junho 2

Foto: indio txucarramãe publicada no cronopios


levantar
todas as manhãs
com as mesmas manhas
dos txucarramães

pintar
o corpo para a guerra
dançar
a dança da chuva
para que a vida
caia como uma luva


(Luiz Antonio Solda)

2 comentários:

Diego Mélo disse...

tanto nós quanto os txucarramães temos uma grande esperança em comum: a que o amanhã vai ser melhor que o ontem e que o agora determina se vamos encarar o mundo com coragem ou covardia. Guerrear, dançar, fazemos tantos rituais a cada dia e nos achamos tão diferents das outras etnias, ilusão. gostei do post ;]

Chico disse...

Com certeza, amigo Diego. Tomei a liberdade de postar seu comentário em http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=561984&tid=5431273285831711398&na=2&nst=30
dá uma olhada!