domingo, abril 29




A vida é crua. Faminta como o bico dos corvos.

E pode ser tão generosa e mítica: arroio, lágrima
Olho d’água, bebida. A vida é líquida.

Hilda Hilst

(Para Gelson, meu guru mais recente)



Um comentário:

adelaide amorim disse...

Liz, na hora de organizar meus quilômetros de favoritos, achei o endereço de teu blog. Gostei muito daqui. Um beijo.