quarta-feira, novembro 1

Três-Marias
















Não pensem que são pirilampos essas estrelas lá fora.
É a lua clara dos campos refletida nas esporas.
Se uso vincha na testa
É pra ver o mundo mais claro.
Não vejo o mundo por frestas lhe fazer reparos.
Sem cinturão com guaiaca me sinto quase que em pêlo.
Quando o meu laço desata sou carretel de novelo.
Da bodega levo um trago pra matar a minha sede.
Meu chapéu de aba quebrada beija-santo-de-parede.
Atirei as boleadeiras contra a noite que surgia.
Noite adentro entre as estrelas se tornaram Três-Marias.
(Luiz Coronel/Airton Pimentel) Posted by Picasa

2 comentários:

Anônimo disse...

Não tenho blog, nunca tive... Na verdade, nem vontade. Bem como vc, gosto de poesia. Foi assim que encontrei, nessa maravilha que é a rede, seu blog. :)

Quis parabenizá-la. É lindo! Deu vontade de ter um...

Amplexos!

Lilic@ disse...

Agora não preciso mais, postar no anonimato. :)